Facebook Linkedin

RASTREIE SUA ENCOMENDA
Saiba mais


Notícias Jadlog

Assessoria de Imprensa Jadlog

GPCom
www.gpcom.com.br




Últimas notícias


PROGRAMA DE SAÚDE PREVENTIVA DA JADLOG RECEBE PRÊMIO INTERNACIONAL

PROGRAMA DE SAÚDE PREVENTIVA DA JADLOG RECEBE PRÊMIO INTERNACIONAL Implementado em momento de pandemia, iniciativa inovadora que oferece cuidados complementares individualizados aos colaboradores foi reconhecida pela rede DPDgroup...




Volume transportado compensa aumento de custos

10/08/2021 / Por Jadlog


Por Roberto Rockmann — Para o Valor, de São Paulo

 


A crescente busca por economia no valor do frete de entrega do produto comprado on-line resultou em aumento da modalidade frete grátis nos meses de julho a setembro, segundo pesquisa da Neotrust/Compre & Confie. No período, 48% das compras foram entregues gratuitamente, ante 44% no mesmo período do ano passado. A entrega paga foi a opção escolhida em 52% dos pedidos, uma queda de quatro pontos percentuais em relação a 2019.

As empresas que transportam produtos têm enfrentado pressão sobre custos, o que cria um cenário desafiador. “O grande aumento do volume entregue compensou parte do aumento de custos, como aluguel, pressionado pela alta de 12% do IGP-M em doze meses, e de custos com a força de trabalho, como contratação de temporários ou de equipamentos de proteção, como máscaras e álcool”, diz o presidente da Jadlog, Bruno Tortorello.

Para os transportadores, o comércio eletrônico representa um universo que pode crescer ainda mais, por causa das mudanças do comportamento do consumidor. Os que têm mais 60 anos, por exemplo, compram cada vez mais pela internet. “Os operadores irão buscar nichos e precisam de grandes empresas de comércio eletrônico, que garantem escala”, diz o coordenador de logística da Fundação Dom Cabral, Paulo Resende.

Um dos desafio dos operadores logísticos é fazer frente a uma cadeia de suprimentos, abastecimento e distribuição mais rápida. “A distribuição urbana da última milha, ou seja, a entrega em domicílio, exigirá do operador logístico extrema integração tecnológica com os clientes”, observa Resende. De acordo com pesquisa Fundação Dom Cabral feita para a Associação Brasileira de Operadores Logísticos (Abol), 46,15% das empresas ouvidas não operam com o comércio eletrônico e 28,21% disseram ter planos de operar. Já operam 25,64%. “Há cinco anos, a maioria nem pensava em ter um pé no comércio eletrônico; hoje isso é parte da estratégia de crescimento”, diz ele. Até o começo do ano passado, as operações logísticas se concentravam no mercado B2B. Do total, 50% representavam movimentações entre indústria e varejo e 30% se referiam ao suprimento de linhas de produção da indústria. As entregas ao consumidor final não passavam de 20%.

  • Para equilibrar custos, as empresas estão buscando descentralizar estoques com abertura de hubs regionais, automatizar processos e aumentar a eficiência da separação dos pedidos.